Nova Ordem

Os 4 Elementos

Existe um modelo básico que carrega todo o significado da vida. Um modelo que, apesar de simples, esconde grandes mistérios. Por detrás de sua simplicidade, é capaz de descrever todo conhecimento já criado pelo homem e para além dele. Não por acaso, possui 4 partes:

O número 4, na numerologia, é conhecido como o número que dá estrutura, pode ser representado pelo quadrado que dá a base ou pelo tetraedro que, segundo Buckminster Fuller, é o bloco de construção do universo.

O número 4 também representa a integralidade justamente por fazer referências aos quatro elementos da natureza: Água, Ar, Terra e Fogo:

A ordem em que são exibidos também é importante. Esta ordem que apresento é diferente da forma original como esta sabedoria me foi transmitida com base em culturas indígenas ancestrais: Terra, Água, Ar e Fogo. Levei muito tempo para compreender a necessidade de fazer esta adaptação alterando a ordem dos elementos para: 1º Água, 2º Ar, 3º Terra e 4º Fogo.

Pode parecer algo bobo, mas não se brinca com coisas assim. Repeti durante muitos anos mentalmente esta ordem original começando sempre pela Terra, exatamente da forma como me foi apresentada aos 16 anos. Desde então, em vários outros momentos, sozinho e também sob a orientação de novos mentores, revisei este mesmo assunto várias e várias vezes como que tentando descobrir se aquele pouquinho a mais de experiência prática na vida entre uma e outra revisão daquele mesmo material poderia me revelar algo novo sobre a mesma imagem.

Na medida em que fui internalizando aquele saber dos 4 elementos percebi que símbolos como estes funcionam como pequenas sementes capazes de serem engolidas de uma só vez, mas levam anos para brotar dentro da gente e ganhar significado. Não foi na velocidade que eu queria, mas sim, na velocidade que precisou ser. Assim como uma árvore não cresce em apenas um dia, símbolos poderosos em nosso mundo interior também costumam demorar. Eles são pequenos e atraem a atenção do nosso inconsciente. Quando menos se espera, falam através de sonhos e uma forma nova de ver o mundo começa a brotar.

Por haver respeitado o ensinamento e procurado utilizá-lo de alguma forma, germinando aquilo primeiro dentro de mim, foi ficando cada vez mais claro que, apesar de bonito, não estava bem para ser aplicado nos dias atuais. Comecei a me perguntar, porque a ordem sempre é Terra, Água, Ar e Fogo? Por quê a Terra vem primeiro? Veremos a seguir que a Terra representa o mundo material, é o nosso corpo físico, nossa saúde e, ao mesmo tempo, o elemento Terra também representa as nossas posses, o dinheiro, os bens materiais e a nossa relação com o trabalho, resumindo, nossa Prosperidade.

O fato dela vir primeiro faz da Terra a primeira coisa a ser resolvida na ordem dos acontecimentos da vida. Isso era bastante frustrante porque, na adolescência, minha relação com o dinheiro estava bem longe de poder ser considerada resolvida. Também descobri, através de observação, que os frutos do trabalho costumam ser colhidos pelas pessoas após longos anos de bom equilíbrio emocional, muito preparo, planejamento inteligente dos recursos e uma dose enorme de paciência e persistência. Portanto, ver a Terra em primeiro lugar me incomodava. Ainda assim, foi transmitido a mim como sendo o primeiro passo na vida e eu não conseguia entender aquilo.

Existe uma beleza nos ensinamentos ancestrais. Fui meio que treinado para pensar que absolutamente nada poderia ser adaptado nestes esquemas porque estragaria a sua essência. Mas, por maior que seja o respeito por culturas ancestrais, se não serve para descrever o que o se manifesta no mundo hoje, sua utilidade se limita a possíveis exibições em museus de arqueologia e história da humanidade. Acredito que os 4 Elementos merecem mais do que isso. Adaptá-los a uma nova realidade é a forma que encontrei de recuperar sua utilizade. Isso sim é respeitá-los.

Um conhecimento tão profundo não poderia ser esquecido assim. Se ele já foi capaz de trazer ordem e entendimento sobre o que significa esta jornada da vida durante tanto tempo, sobretudo enquanto os moradores originais deste continente ainda estavam por aqui, porque deveriam cair agora no esquecimento? E foi olhando com reverência para o passado que pude ver o que fazia sentido naquele momento e o que precisa mudar agora para, somente assim, dar conta de descrever a Nova Ordem onde vivemos.


capítulo anterior
Introdução
próximo capítulo
Ordem Original

Obrigado, {{contato.nome}}!
Seu comentário foi enviado.


Conte-nos o que achou deste capítulo...



contato@eliti.com.br
(48) 9 9982-6011
Florianópolis e Blumenau

desenvolvido por